Canto dos Emigrantes

 

Com seus pássaros

ou a lembrança de seus pássaros,

com seus filhos             

ou a lembrança de seus filhos,

com seu povo

ou a lembrança de seu povo,

todos emigram.

 

De uma quadra a outra

do tempo,

de uma praia a outra

do Atlântico,

de uma serra a outra

das cordilheiras,

todos emigram.

 

Para o corpo de Berenice

ou o coração de Wall Street,

para o último templo

ou a primeira dose de tóxico, 

para dentro de si

ou para todos, para sempre

todos emigram. 

 

Alberto da Cunha Melo

 

 

          Saudação do poeta e jornalista, José Nêumanne Pinto, ao 61º aniversário de Alberto da Cunha Melo. 08.ABRIL.2003.

 

         Poema lido por José Nêumanne Pinto

Editoração de Imagens: Cláudia Cordeiro Reis

Editoração Sonora: Mariza Lourenço

Os Cem Melhores Poetas Brasileiros do Século XX. José Nêumanne Pinto (organizador). São Paulo: Geração Editorial, 2001, p. 195

Capa: Tide Hellmeister 

Plataforma para a Poesia

www.plataformaparaapoesia.kit.net

Sítio Virtual Pernambucano da Poesia Contemporânea em Língua Portuguesa

hLeia Poesia!

 

 

voltar